Acompanhamento nutricional durante a gestação

É muito importante que a gestante tenha uma alimentação equilibrada e que seu ganho de peso seja controlado de acordo com seu biotipo e necessidades individuais.

publicidade

Após toda a euforia causada pela descoberta da gravidez, muitas e muitas perguntas surgem para as mamães de primeira viagem (e de segunda também!). Dentre todas as dúvidas, muitas se relacionam aos hábitos alimentares presentes e, principalmente, futuros, já que agora existe uma pessoinha participando ativamente de todas as refeições. Por isso, neste artigo vou falar um pouco sobre a importância da nutrição durante a gravidez. 

A gravidez é um fenômeno que acarreta uma série de transformações no organismo materno. Essas transformações irão garantir o crescimento e desenvolvimento do bebê, e ao mesmo tempo, proteger o organismo da gestante. 

Comer é bom, e isso não deve mudar, mesmo quando você está grávida, mas para atender a todas essas transformações faz-se necessário garantir um suprimento adequado de calorias e de nutrientes. 

Durante a gravidez, seus gostos, apetite e sistema digestório podem ficar um pouco erráticos. É normal ter alguns desejos estranhos e fora do comum. No início podem surgir os tão temidos enjoos matinais, ou então flagrar-se em busca de comidas extravagantes, enquanto rejeita suas favoritas. Uma dieta nutritiva para você e para o bebê não significa passar o dia inteiro na cozinha. 

Lembre-se que a gravidez não é uma época para mudanças radicais, portanto não passe de carnívora á vegetariana ou vice-versa. O melhor é simplesmente adaptar seus hábitos para que o bebê receba a melhor nutrição possível. 

Algumas pessoas questionam o que exatamente acontece em uma consulta com a Nutricionista, quais serão seus objetivos. A nutricionista irá tratar alguns possíveis desvios ponderais que podem ocorrer como aumento exagerado de peso, anemia, ou até mesmo ganho de peso; Promover atividades que visem a melhora no estado nutricional; Orientar sobre hábitos de vida adequados; Acompanhar o crescimento e vitalidade fetal; além claro, de preparar a gestante para o parto e para a lactação. 

Uma das dúvidas mais frequentes é em relação ao ganho de peso. O ganho de peso irá acontecer, não existe a possibilidade da gestante não ganhar peso. Temos que pensar que o ganho de peso normal deve-se principalmente a dois componentes que são: o aumento de tecidos maternos (aumento do volume sanguíneo, aumento de depósitos maternos, crescimento do útero de das mamas); e produtos da concepção (líquido amniótico, feto e placenta). Um ganho de peso insuficiente irá se relacionar a um maior risco de retardo de crescimento intrauterino e mortalidade perinatal, já um ganho de peso excessivo pode estar relacionado a patologias maternas como diabetes gestacional, dificuldades no parto, além de risco para o feto no período perinatal. 

Em casos onde a gestante apresenta Anemia Ferropriva é importante orientá-la quanto á seleção de alimentos fontes de ferro heme (carnes vermelhas e miúdos) ou mesmo ferro não heme (leguminosas, vegetais folhosos e cereais integrais) juntamente com alimentos fontes de vitamina C, que irão auxiliar na absorção do mineral, mas em alguns casos pode ocorrer também a suplementação deste mineral por comprimidos para que sua absorção seja ainda mais completa. 

Algumas regras não podem faltar no dia a dia da gestante, pois elas irão auxiliar em uma melhor nutrição tanto para a mãe quanto para o bebê, por isso alguns alimentos são indispensáveis. São eles: 

  • Água : em torno de 1.5 a 2.0 litros ao dia para auxiliar no transporte de nutrientes, regulação na temperatura do organismo, envolver e proteger o feto, além de auxiliar na lubrificação do trato digestório. 
  • Leite e derivados: irão auxiliar na formação das estruturas ósseas e dentárias do bebê, e prevenir contra a hipertensão arterial durante a gestação.
  • Aveia e linhaça: irão auxiliar no funcionamento intestinal que muitas vezes estará lento.
  • Frutas: irão fornecer um aporte maior de vitaminas e minerais para o organismo da futura mamãe e do bebê.
  • Carnes e peixes: importante porque trazem junto deles vitaminas e minerais que irão auxiliar na manutenção do organismo materno 

publicidade
publicidade
publicidade