Peso da Mochila

publicidade

Pais devem estar atentos ao peso da mochila dos filhos

Crianças que carregam bolsas muito pesadas podem desenvolver problemas na coluna vertebral

Para a maioria dos estudantes brasileiros, as férias já terminaram. Nessa temporada, enquanto alunos se divertem ao reencontrar os colegas e fazer novas amizades, os adultos se encarregam de mensalidades e do material escolar. Mas, esses itens não devem ser os únicos objetos de preocupação dos mais velhos. O Instituto Nacional de Tráumato-Ortopedia (Into), órgão ligado ao Ministério da Saúde, alerta: crianças que carregam mochilas muito pesadas correm o risco de sentir dores nas costas, desenvolver postura incorreta e apresentar desvios na coluna vertebral.

Segundo o chefe do setor de Coluna do Into, Luiz Cláudio Schettino, o peso exagerado das mochilas escolares gera uma sobrecarga mecânica no corpo dos estudantes. "O material muito pesado leva a criança a fazer um esforço além do que ela poderia suportar, o que pode trazer transtornos como estresse muscular e dores", adverte.

O ideal seria que as crianças levassem mochilas com rodinhas, para evitar problemas de coluna. "Porém, as crianças maiores resistem ao conselho em razão da moda. Elas temem 'pagar mico' diante dos colegas", diz Luiz Cláudio Schettino, citando a linguagem da garotada. Caso os alunos resistam às rodinhas, o peso das mochilas não deve ultrapassar o limite de 10% do peso da criança, ou seja, uma pessoa que pese 30kg não pode carregar uma mochila com mais de 3kg de material escolar.

Outra recomendação do Into é que as mochilas sejam carregadas com as alças nos dois ombros, nunca só em um deles, para que a carga fique distribuída na região central mediana do corpo. Os estudantes que optam pelas bolsas do tipo "carteiro" são aconselhados a alternar os lados em que conduzem o material.

A dona de casa Eliane Mota afirma ter conhecimento dos danos que mochilas muito pesadas podem provocar. Por isso, suas filhas, Thalissa (5) e Joyne (7), transportam mochilas com rodinhas. Ela comenta que esse tipo de material é útil e benéfico para as meninas, mas dificulta o deslocamento delas na hora de subir e descer as escadas da escola. "Como as crianças saem correndo no fim da aula, tenho receio de que alguém esbarre nas minhas filhas e provoque um acidente", diz.

Cuidados - O chefe do setor de coluna do Into recomenda que os pais estejam atentos quando seus filhos se queixarem de dor. "A partir do momento em que as crianças reclamam de dores musculares constantes, que as impedem de brincar e se divertir, é dado um sinal de alerta para a existência de problemas de coluna", afirma Luiz Cláudio.

Segundo ele, os pais devem tentar convencer os filhos a usar a mochila com rodinhas. É importante também que os alunos levem para as aulas somente o material necessário que utilizarão em determinado dia da semana. Os livros maiores podem ser deixados nos armários na escola. Caso seja inevitável levar muito material para o colégio, os filhos precisarão da ajuda dos pais para carregar os materiais.

A prática de atividades físicas também é recomendável às crianças em idade escolar. De acordo com Luiz Cláudio, os exercícios físicos, especialmente esportes aquáticos, aumentam a resistência muscular das crianças. A natação se destaca, pois trabalha toda a musculatura do corpo, é bem vinda a todas as articulações e ajuda a prevenir as dores.

Outra dica é levar as crianças pelo menos uma vez por ano ao pediatra. Somente o médico pode ajudar a detectar doenças comuns na fase de crescimento, como a escoliose, um desvio na coluna que apresenta poucos sinais durante o aparecimento.

publicidade
publicidade
publicidade