Parto Humanizado

publicidade

Grávida em trabalho de parto recebendo assistência - foto: ChameleonsEye/ShutterStock.com

O que é Parto Humanizado?

O parto humanizado é um conceito, colocar a gestante na condição de dona da situação, de ser bem atendida, de poder escolher a forma de intervenção, um parto sem riscos, com a mínima intervenção médica.

Para quem é indicado o Parto Humanizado?

Será a avaliação do histórico do pré-natal e do desenvolvimento fetal, que indicará a aplicação ou não do parto humanizado.

Quem NÃO pode fazer?

Existe muitas avaliações que precisarão serem feitas pelo médico, como mulheres que não fazem atividade física frequente e têm uma fragilidade dos músculos do períneo, há maior risco de apresentarem prolapsos vaginais em idade mais avançada, hipertensão arterial, diabetes, excesso de peso, não é recomendado.

Quem acompanhará a gestante?

A doula, obstetra, pediatra e acompanhante familiar, é um momento que ela se sente insegura e solitária o vínculo familiar se torna muito importante nesse momento.

A escolha a onde será feito o parto e que posição?

O parto humanizado pode acontecer em um hospital, casa de parto ou na casa da parturiente, com equipe que assiste a mulher com base em evidências científicas. A melhor posição para se ter um filho está ligada ao conforto da mulher e pode variar de mulher para mulher. As posições agachada (de cócoras) e semi-sentada estão entre as mais escolhidas. A primeira, além de ser confortável, também permite ao pai ou outro acompanhante que participe de forma mais intensa do nascimento do bebê, dando suporte à mãe no momento em que ela faz força. Assim, abraçando-a pelas costas, ele (a) consegue gerar um contrapeso que a ajuda a continuar o trabalho de parto. Na semi-sentada, os pais podem ficar ao ladinho das mães, oferecendo apoio, carinho e amor, na banheira tudo dependerá das condições da gestante e do local.

Período do pré-parto quais escolhas para o momento da concepção?

Escutar música ou não, muita ou pouca luz no ambiente, se vai ser anestesiada ou usará técnicas variadas para aliviar a dor: como técnicas de respiração e banho quente, todas estas opções só serão possíveis se a gestante e o bebê estiverem bem segundo avaliação do obstetra. O médico estará o tempo todo ao seu lado, acompanhando o estado fetal através de exame do registro gráfico da frequência cardíaca fetal e das contrações uterinas

O parto humanizado também é deixar a natureza agir primeiro, esperar a bolsa se romper normalmente, se não houver rompimento espontâneo, somente fazer a rotura quando o parto estiver adiantado, como também a incisão a ser efetuada na região do períneo, procedimento este que só deve acontecer com indicação médica, no momento do expulsivo.

Logo após nascimento do bebê?

No parto humanizado, logo após o nascimento, o bebê é entregue aos braços da mãe ainda com o cordão umbilical intacto, o contato pele a pele nos primeiros minutos de vida fora do útero tem grande importância para a vida do bebê, pois o permite recriar o ambiente sensorial e emocional com facilidade. Esse momento é um dos mais emocionantes e profundos do nascimento, por ser o primeiro contato direto entre mãe e filho e o início de uma nova fase de vida para os dois. Outros benefícios deste contato inicial incluem o fato de a amamentação ocorrer mais cedo e o estreitamento da atração emocional.

E além disso a humanização do parto garante a presença do bebê junto à genitora no quarto, fundamental para o relacionamento de ambos, maior vínculo afetivo e amamentação prolongada.

E quanto à Recuperação?

O parto normal e da cesárea para mulheres que os vivenciaram, mostra, em seus resultados, aspectos positivos e negativos relacionados a cada via de parto, bem como a vivência da maternidade nos dias atuais. Em outras palavras, as mulheres conseguem perceber os benefícios do parto normal em relação à cesárea, tendo consciência das dificuldades enfrentadas no parto normal, como também os riscos atribuídos ao procedimento cirúrgico.

 

Fontes:
cursosaprendiz.com.br
scielo.br
https://www.ebc.com.br/
http://bvsms.saude.gov.br/
publicidade
publicidade
publicidade