Os Primeiros 1.000 Dias de Um Bebê: Uma Janela de Oportunidade para Construir um Futuro Saudável

Os primeiros 1.000 dias de vida de um bebê, é o tempo entre a concepção e o segundo aniversário, um período único de oportunidade para a saúde, crescimento e neurodesenvolvimento importantes.

publicidade

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), os primeiros 1000 dias são divididos em três estágios:

  • 270 dias de gravidez
  • 365 dias do primeiro ano do bebê
  • 365 dias do segundo ano do bebê

Saúde e nutrição são fundamentais em todas as três fases
As sementes da saúde do bebê são plantadas ainda no útero, e continuam a crescer durante a primeira infância. Alcançar a saúde física e mental é um esforço importante, pois vale para toda a vida. Os primeiros 1.000 dias são os mais críticos para o desenvolvimento do cérebro, corpo, metabolismo e sistema imunológico.  A má alimentação durante este período está ligada a uma série de problemas, que vão desde a obesidade ao déficit de crescimento. 
A nutrição é o combustível para o crescimento e o desenvolvimento do cérebro durante a gravidez e na primeira infância, por isso a desnutrição pode causar retardo ou deficiência de crescimento. Esta condição irreversível afeta negativamente a função cerebral, o quociente de inteligência (QI), e o sistema imunológico. A baixa estatura também está associada a um maior risco de diabetes, câncer ou outras doenças.
Por outro lado, se um bebê recebe nutrição em excesso, é provável que tenha problemas de saúde ao logo da vida. Ganhar peso rápido, pode predispor a criança a uma luta permanente contra a obesidade, além de comorbidades associadas a esta condição, como diabetes ou doenças cardíacas

Os pais têm papel fundamental na determinação do status nutricional dos filhos. Os bebês precisam de calorias, proteínas e nutrientes saudáveis o suficientes, tanto no útero quanto na primeira infância.

A gestação e a lactação são um momento biológico, que merece atenção especial com a alimentação e com algumas vitaminas e minerais específicos, pois exigem demanda aumentada, confira:

Ferro - Confira a lista de alimentos fontes:

  • Carne vermelha
  • Vegetais verde-escuros, como brócolis, espinafre e couve
  • Leguminosas: grão-de-bico,  lentilha e feijão 
  • Tofu 
  • Cereais integrais, como aveia e quinoa
  • Uva passa 


A vitamina C - Ajuda a aumentar a absorção do ferro não-heme (dos vegetais), por isso inclua na mesma refeição alimentos fontes de vitamina C (caju, goiaba, manga, morango, pimentão, tomate, laranja, tangerina, acerola, limão).
Por outro lado, evite consumir alimentos ricos em cálcio (leite e derivados), café e chás na mesma refeição, pois eles prejudicam a absorção do ferro.
Omega-3 - O cérebro e outros tecidos neurais, incluindo a retina, são compostos por fosfolipídios, ricos em ácidos graxos poli insaturados, especialmente o ácido docosahexaenóico (DHA). O feto e o bebê recém-nascido dependem de um suprimento materno de DHA. Os peixes gordurosos como salmão, anchova, robalo, truta, linguado, atum e sardinha são as principais fontes.
Vitamina A - A Vitamina A é um micronutriente essencial para vários processos metabólicos, como ciclo visual, crescimento, reprodução, sistema antioxidante e imunológico. Apresenta especial importância durante os períodos de proliferação e rápida diferenciação celular, como no período neonatal e infância. As fontes de incluem queijo, folhosos verde-escuros, frutas e legumes de cor laranja, fígado, gema de ovo e óleos de peixes.
Vitamina D - A vitamina D ajuda o corpo a absorver cálcio, importante para ossos e dentes saudáveis.  A principal fonte é através da ação da luz solar na pele. 
Vitamina B2 - A vitamina B2, também conhecida como Riboflavina, ajuda a liberar energia dos alimentos e a manter a saúde das membranas mucosas, como as da boca e do intestino. É encontrada em levedura, fígado, vegetais folhosos (couve, brócolis, espinafre, repolho, agrião, entre outros), ovos, carne, semente de girassol, ervilha, soja, leite e frutos do mar.
Vitamina B12 - A vitamina B12 ajuda a produzir glóbulos vermelhos e mantém o sistema nervoso saudável. Ela está presente nos alimentos de origem animal, especialmente nos peixes de água fria e profundas, como salmão, truta e atum. Fígado, carne de porco, carne vermelha, leite e derivados e ovos também são fontes. Dietas vegetarianas e veganas provavelmente precisam de suplementos de vitamina B12.
Cálcio – O cálcio é essencial durante a lactação, porque é necessário para a produção de leite. Além disso é importante para a mãe manter sua saúde óssea. Leite e derivados, soja, tofu, sementes de gergelim, sardinha, folhas verdes escuras (espinafre, couve, agrião, rúcula, brócolis, quiabo), grão-de-bico são fontes deste mineral.
Magnésio - O magnésio é importante para a saúde óssea, função muscular e nervosa. As principais fontes alimentares são cereais, leite e derivados, vegetais, batatas e carnes. 
Zinco – É um micronutriente necessário à reprodução, diferenciação celular, crescimento, desenvolvimento, reparação tecidual e imunidade. É encontrado em muitos alimentos, incluindo carne vermelha, leite, queijo, ovos, frutos do mar, cereais integrais, nozes e leguminosas. 

Gestação - primeiros 270 dias

De acordo com a organização 1000 dias, o cérebro de um bebê já contém 10 bilhões de células durante a 24ª semana de gravidez, e essas células progridem com a nutrição da mãe. Se ela não ingerir calorias e nutrientes suficientes, o cérebro não se formará adequadamente, o que pode causar atrasos no desenvolvimento e defeitos congênitos.
Para garantir esta demanda, o primeiro passo é fazer uma dieta variada, nutritiva e completa durante a gravidez e lactação. É importante se concentrar em alimentos que fornecem mais nutrientes e menos calorias, como proteínas magras de alto valor biológico, frutas, verduras e legumes, gordura saudáveis como azeite e abacate, carboidratos complexos probióticos e fibras prebióticas.

Cuidados efetivos

  • Durma de 8 a 10 horas ao dia. Lembre-se de que seu corpo está se esforçando para cuidar de você e de seu neném.
  • Faça exames regulares. Muitos problemas de desenvolvimento podem ser detectados e tratados antes do nascimento.
  • Evite ovos crus pois podem estar contaminados com salmonela, uma bactéria que pode causar febre, vômito e diarreia.
  • Consuma produtos lácteos, especialmente iogurte. Eles ajudam a atender às necessidades aumentadas de proteína e cálcio.
  • As leguminosas são fontes de folato e fibras. O folato é um nutriente essencial na gestação
  • A Batata-doce é uma boa fonte de betacaroteno que o corpo transforma em vitamina A, importante para o crescimento e diferenciação das células do bebê em desenvolvimento.
  • O Salmão contém os ácidos graxos ômega-3. EPA e DHA, que são importantes para o desenvolvimento do cérebro e dos olhos. Também é uma fonte natural de vitamina D.
  • Ovos inteiros são nutritivos e uma ótima maneira de aumentar a ingestão de nutrientes. Eles também contêm colina, um nutriente importante para a saúde e o desenvolvimento visual e do cérebro.
  • O Brócolis e folhas verdes são ricos em fibras, o que pode ajudar a prevenir ou tratar constipação.
  • As Carnes magras são boa fonte de proteína. 
  • As Frutas vermelhas contem vitamina C, fibras e antioxidantes.
  • Os grãos integrais são ricos em fibras, vitaminas e compostos vegetais. Eles também são fontes de vitaminas do complexo B, fibras e magnésio.
  • O abacate contém grande quantidade de ácidos graxos monoinsaturados, fibras, folato e potássio. 
  • Beber água é importante porque seu volume de sangue nesta fase é aumentado. A hidratação adequada também ajuda prevenir constipação e infecções do trato urinário.

Primeiro ano - 365 dias após o nascimento

Durante os primeiros seis meses o bebê é alimentado apenas com leite materno, e depende da mãe para todos os requisitos nutricionais. A alimentação da mãe determina a qualidade do leite. A demanda de nutrientes nesta fase, são maiores e podem ter um impacto negativo para mãe e filho se não forem atendidas. Por isso, é muito importante planejar as refeições. Frutas frescas, vegetais, leite e derivados, peixe, aves, nozes, grãos integrais, feijão e lentilha são fundamentais.

  • Quanto comer - Pode ser necessário ingerir de 500 a 600 calorias a mais ao dia. No 6º mês, quando o bebê começar a comer outros alimentos, a mãe produzirá menos leite e poderá reduzir a ingestão calórica.
  • Álcool – É melhor evitar. Não existe quantidade segura de álcool para bebês.
  • Cafeína - Se seu neném não estiver dormindo bem ou estiver irritado, diminua ou evite, pois a cafeína passa para o leite. Os recém-nascidos são mais sensíveis à substância.
  • Alergias - Os alimentos mais comuns que causam alergias são laticínios, soja, trigo e ovos. Manter um diário alimentar pode ajudar identificar quais alimentos estão causando desconforto.
  • Água - A água é responsável por 85-95% do volume total de leite. Existe uma crença generalizada que o aumento da ingestão de água aumentará a produção de leite, mas vários estudos mostraram que forçar a ingestão de líquidos além do necessário, não tem efeitos benéficos na lactação.  Beba de 40 a 50ml por kg de peso ao dia.
  • Alimentação variada - O sabor dos alimentos também é transferido para o bebê através do leite. Isso pode influenciar na aceitação do bebê por novos alimentos durante o desmame, e as primeiras experiências com a alimentação.
  • Proteína - Inclua alimentos proteicos de 2 a 3 vezes ao dia, como carne e aves (magras) peixes, ovos, laticínios, feijão, nozes e sementes.
  • Frutas, verduras e legumes - Coma 5 porções. A OMS recomenda no mínimo 400g ao dia.
  • Carboidratos - Inclua grãos integrais, pães, massas, cereais e aveia
  • Dietas vegetarianas - São compatíveis com a amamentação. Porém a mãe precisará tomar um suplemento de vitamina B12, para garantir a demanda.

Por volta dos seis meses, a maioria dos bebês está pronta para introdução dos alimentos sólidos. É uma fase importante para explorar sabores e texturas variadas. As crianças não saem do útero pedindo bolo de chocolate. Os pais definem a linha de base e as preferências de sabor. Por isso, é fundamental apresentá-los a uma variedade de alimentos. Quanto mais sabores seu bebê for exposto no início, melhor será sua alimentação no futuro.
Ofereça alimentos saudáveis ​​e ingredientes naturais, com açúcar somente das frutas, mínimo de sal, e fontes de micro e macronutrientes. Com isso seu neném vai treinar suas papilas gustativas, e você fornecerá ao seu filho tudo de que ele precisa, preparando-o para uma vida feliz, saudável e gratificante.

Alimentos a evitar: Para prevenir a obesidade e os problemas associados a ela, é fundamental evitar alimentos com adição de açúcar durante a gravidez e a infância, carne processada, excesso de sódio e junk food.

Segundo ano – 365 dias após o primeiro aniversário

No segundo ano, o cérebro de uma criança se desenvolve rapidamente. Bebês que não recebem alimentação adequada neste período, podem desenvolver problemas cognitivos, incluindo habilidades de linguagem mais lentas, QI mais baixo e desempenho escolar comprometido. Embora muitos fatores contribuam para o desenvolvimento do cérebro, a nutrição é considerada um fator fundamental.  

Sugestão

  • As crianças devem receber 3 refeições e 2 lanches ao dia, ricos em uma variedade de nutrientes, frutas, vegetais proteínas e grãos integrais
  • Este é um período de pico de necessidade de ferro. Forneça alimentos como espinafre, brócolis, beterraba, suco de romã, tâmaras e carnes magras
  • Brincadeiras ativas incluem: Correr, pular, escalar, escorregar, jogar bola, dançar, brincar com brinquedos de montar, entre muitos outros. Os bebês não devem ficar parados, exceto quando estão dormindo. A Academia Americana de Pediatria (AAP), afirma que brincar com os pais e colegas é essencial para construir cérebros e corpos saudáveis, assim como construir laços afetivos. A pesquisa mostra que se o tipo certo de estímulo é fornecido às crianças durante os primeiros 1000 dias, isso o ajudará com a linguagem, matemática, raciocínio e habilidades sociais.
  • Continue amamentando seu filho enquanto você e ele se sentirem confortáveis. Não existe suplemento nutricional ou fórmula melhor que o leite materno.

De acordo com a AAP, aos 2 anos de idade, o cérebro se desenvolve em um órgão complexo que permite que as crianças aprendam a andar, falar e ler. Ele está pronto para novas mudanças e experiências, como aprender matemática, raciocínio e pensamento complexo. Mas se o cérebro não recebeu as experiências e nutrição necessárias durante os primeiros 1000 dias, ele poderá perder certos processos importantes de desenvolvimento.

publicidade
publicidade
publicidade