Meu bebê tem seis dedinhos: e agora?

Em geral não trará problemas físicos mas pode trazer problemas emocionais. Tudo depende de cada indivíduo

publicidade

A fase de gestação já está terminando, e a mamãe já tem em mente a imagem do filho desenhada na mente mesmo sem nunca tê-lo colocado no colo. Jamais ela imaginará seu filho surgindo ao mundo com mais dedos que o previsto. Logo, vem a pergunta: será que isso é normal?

Comum não é, mas nem por isso os pais devem ser preocupar. Duas das mal-formações congênitas são facilmente resolvidas com cirurgias reparadoras: a polidactilia e a sindactilia.

A polidactilia é o excesso de dedos nas mãos ou nos pés. Pode aparecer desde um dedo extra, completamente desenvolvido, até a de uma simples protusão carnosa. Já a sindactilia é quando dois dedos nascem parcialmente ou totalmente unidos.

Raio X de uma mão com seis dedos (polidactilia) - foto: thailoei92/ShutterStock.com

A medicina hoje, com exames avançados e ultra-som onde se consegue ver até mesmo o rostinho do bebê dentro da barriga da mamãe, pode diagnosticar várias síndromes, doenças e mal-formações congênitas desde muito cedo, até mesmo no decorrer da gestação. Não é preciso o bebê nascer para saber se ele é ou não “normal”.

Isso acontece com as mal-formações das mãos e dos pés. Desde a barriga a mamãe já sabe que seu bebê vai nascer ou com a polidactilia ou a sindactilia. Assim os pais podem se preparar para receber um bebê com uma alteração e planejar juntamente com o médico a melhor época para realizar a cirurgia reparadora.

A cirurgia para a retirada do dedo extranumerário ou a separação dos dedos é uma das cirurgias plásticas infantis mais realizadas. Mas a retirada do dedo extra não é simples. O médico deve pedir exames para verificar qual dedo tem melhor funcionamento e decidir se tem ou não que intervir nos tendões.

Famosos com dedo a mais - A apresentadora Daniela Cicarelli, por exemplo, tem seis dedos em um pé, mas nem por isso optou por cirurgia. Outro famoso que preferiu não passar por operação é o jogador Fabinho, ex-Corinthians e Santos, que convive harmoniosamente com seis dedos em uma das mãos.

Já a miss Brasil Natália Guimarães passou por cirurgia quando ainda era recém-nascida para extração de um dedo da mão. O pai dela também nasceu com um dedo a mais. “Ficou só uma marquinha que não dá nem pra ver direito. É hereditário. Não tive qualquer problema depois da operação”, conta a modelo.

Apelidos na escola - Os pontos importantes da realização da cirurgia precoce são o crescimento e desenvolvimento adequado dos membros afetados, além da auto-estima da criança, que quando chega à escola com dedos extras ou unidos recebem apelidos nada agradáveis, podendo interferir no processo de sociabilização e aprendizado, dependendo da característica da criança.

A sindactilia e a polidactilia são genéticos e hereditários, isto é, se há na família história dessas alterações, principalmente se for pai ou mãe, as crianças tem mais chances de desenvolver essas alterações.

Se na gestação se descobrir a sindactilia ou a polidactilia, é bom pedir para um médico fetal examinar o bebê. Essas alterações dos membros podem ser sintomas de alguma síndrome; quanto mais precoce o diagnóstico, melhor o tratamento.

Normalmente, a sindactilia e a polidactilia não são sintomas de síndromes e não causam desconforto. Às vezes podem impedir a criança de calçar algum modelo de calçado ou dor. Hoje é difícil verificar crianças maiores ou adolescentes com essas mal-formações, já que as cirurgias reparadoras são realizadas com apenas meses de vida.

Dicas

Se houver nascimento de um filho com sindactilia ou polidactilia, o bom é fazer um aconselhamento genético na próxima gestação.

Não se assuste em realizar cirurgia em bebê tão pequeno. Converse com o médico e tire suas dúvidas.

Se seu filho não realizar a cirurgia, converse muito com ele sobre sua alteração para que ele não fique inseguro se algum amiguinho tirar “sarro” da sua mal-formação..

publicidade
publicidade