CROSP dá dicas para cuidar da saúde bucal das crianças durante as férias

No período de recesso escolar, alguns riscos à saúde bucal das crianças podem ser evitados, como o consumo exagerado de doces. Aproveitar o mês para levá-las a um profissional da Odontologia também é uma dica importante 

publicidade

 A falta de atenção à saúde bucal nas férias escolares é um problema recorrente que pode ser evitado com alguns cuidados especiais na alimentação e higiene da boca. Para ajudar pais e filhos nessa tarefa, o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) preparou quatro dicas para que todos aproveitem as férias com mais saúde e tranquilidade.

1. Cuidado com os excessos 

Durante as férias, frequentemente aqueles que cuidam de crianças flexibilizam e acabam por atender aos seus pedidos por mais doces e carboidratos. Mas tudo em excesso é prejudicial. O açúcar, em contato com a placa bacteriana, uma camada fina que envolve o dente, forma substâncias ácidas que atacam o esmalte dentário. Esse processo pode aumentar a possibilidade de surgir cárie. O mesmo ocorre com os carboidratos, os quais se transformam em açúcares após a digestão.

As crianças que ainda não atingiram a maturação completa do desenvolvimento dos dentes são mais suscetíveis ao problema. Por isso, é recomendável evitar os excessos e fazer a higiene bucal em até 30 minutos após a ingestão dos alimentos.

Criança no dentista

2. Mantenha uma rotina de higiene bucal disciplinada 

É importante manter uma rotina disciplinada de higiene bucal. A mudança de horário das refeições e atividades pode levar também a alteração nos hábitos de higienização da boca. Não é porque a criança está de férias que as práticas de limpeza podem ser relaxadas. Uso de escova e fio dental, além do enxaguante – quando recomendado –, é essencial para uma boa saúde da boca.

Há ainda produtos de higiene bucal específicos para as crianças, sem álcool.

3. Acidentes nas férias são comuns, saiba como agir

É mais comum as crianças se machucarem mais quando estão de férias, afinal há tempo de sobra para brincar. Segundo a cirurgiã-dentista Sandra Kalil, conselheira do CROSP, quando se machucam, as crianças estão propensas a sofrer lesões em tecidos moles ou duros, desde pequenas dilacerações de lábio e fraturas dentárias até fraturas de mandíbula. Em decorrência desses acidentes, por exemplo, há a possibilidade da não formação completa dos dentes, além de manchas e perda precoce do dente decíduo.

De acordo com a conselheira do CROSP, a recomendação é sempre procurar um cirurgião-dentista; vale ressaltar que, logo após o acidente, é importante higienizar o local com soro fisiológico. Caso o dente ou fragmento seja encontrado, é importante levá-lo ao atendimento, pois em alguns casos há a possibilidade de reimplante. 

4. Leve a criança para uma consulta com um cirurgião-dentista 

O CROSP recomenda que aqueles que cuidam das crianças aproveitem o período de férias para marcar consultas com um profissional. Os primeiros anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento da criança, o que inclui a estrutura dentária. Por isso, o acompanhamento adequado com um profissional da Odontologia é muito importante. Em 2017, o jornal científico Journal Pediatrics publicou um estudo da Universidade de Toronto que apontou que menos de 1%, de um total de 2.505 crianças, visitou um cirurgião-dentista até um ano de idade. 

Sobre o CROSP – O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) é uma autarquia federal dotada de personalidade jurídica e de direito público com a finalidade de fiscalizar e supervisionar a ética profissional em todo o Estado de São Paulo, cabendo-lhe zelar pelo perfeito desempenho ético da Odontologia e pelo prestígio e bom conceito da profissão e dos que a exercem legalmente. Hoje, o CROSP conta com 115 mil profissionais inscritos. Além dos cirurgiões-dentistas, o CROSP detém competência também para fiscalizar o exercício profissional e a conduta ética dos Técnicos em Prótese Dentária, Técnicos em Saúde Bucal, Auxiliares em Saúde Bucal e Auxiliares em Prótese Dentária. Mais informações: www.crosp.org.br

publicidade
publicidade