Concepção assistida - As chances de sucesso

publicidade

As chances de sucesso

Como cerca de três em cada cinco casais submetidos a um único ciclo de tratamento de concepção assistida não têm um bebê, é fácil falar em fracasso. Mas a verdade é que os índices globais de sucesso da concepção assistida são quase tão bons como o da natureza e algumas vezes até melhores. A probabilidade de sucesso aumenta a cada ciclo em que se tenta determinado procedimento. Depois de quatro ciclos de tratamentos esse índice "cumulativo" de gravidez pode chegar a 60% por casal após o tratamento por FIV ou GIFT. A concepção, porém, é mais difícil em mulheres acima dos 40 anos. Os últimos resultados no tratamento da infertilidade masculina por ICSI mostram que homens com distúrbios no esperma têm agora chances bem maiores de gerar filhos.

Um bebê sadio?

A probabilidade de ocorrer um aborto ou um bebê com anormalidade é a mesma, tanto após a indução de ovulação como após a concepção natural. Os riscos existentes dependem da idade da mãe e de fatores genéticos. Se você ficar grávida após esse tratamento, não serão necessárias quaisquer medidas especiais; a gravidez será tratada exatamente como qualquer outra. O trabalho de parto e a amamentação não serão afetados de nenhuma maneira.

O sucesso e as complicações

Como todos os métodos de concepção assistida oferecem uma probabilidade restrita de concepção existe um grande risco de desapontamento. Entretanto, conforme mostram os estudos, as probabilidades de gravidez realmente aumentam com os ciclos adicionais, sendo comparáveis às naturais. Dependendo de um número enorme de variáveis a faixa de sucesso pode variar de 10 a 60% por ciclo.

Um efeito colateral importante com o tratamento é a gestação múltipla, que deve ser levada em consideração pelo casal. Outro perigo na concepção assistida é a "síndrome da hiperestimulação ovariana" (OHSS) que é decorrente de uma resposta exacerbada da estimulação ovariana. É para evitar este risco, assim como o de gestação, que o monitoramento do crescimento folicular deve ser rigoroso.

Glossário

FIV: Fertilização in vitro com transferência uterina de embrião, procedimento no qual um óvulo é removido de um folículo e fertilizado por espermatozóides fora do corpo da mulher.

GIFT: Transferência intratubárea de gametas: procedimento no qual o óvulo é coletado e imediatamente misturado com espermatozóides preparados.

publicidade
publicidade