Como deve ser o pratinho do bebê?

publicidade

Ao deixar de se alimentar exclusivamente do leite materno, o bebê deve ter assegurado o direito à alimentação balanceada, com ingestão de ferro e demais micronutrientes, proteínas, carboidratos e gorduras de maneira balanceada e variada. Nesta fase é muito importante assegurar as necessidades calóricas do bebê, de cerca de 100 calorias/kg.

O sal também não deve ser utilizado em excesso por quem prepara as refeições do bebê, pois pode causar um vínculo com o alimento salgado de difícil dissolução durante o desenvolvimento infantil. A criança pode passar a considerar 'muito sem graça' o sabor das frutas, verduras e alimentos preparados com quantidades adequadas de sal e dar preferência a alimentos industrializados, geralmente com maior teor de sal, como os salgadinhos chips.

Como o Instituto de Medicina dos Estados Unidos (IOM) - que é referência mundial - ainda não estabeleceu uma proporção de energia proveniente dos nutrientes essenciais para cada refeição, na faixa etária entre 7 a 12 meses os valores adotados são os mesmos propostos para crianças de 1 a 3 anos, que devem ser de 5% a 20% de proteínas, 30% a 40% de lipídios e 45% a 65% de carboidratos.

Mamãe dando papinha na boca do bebê - Getty Images

Prevenindo a anemia

A anemia é definida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como a condição na qual o conteúdo de hemoglobina no sangue está abaixo do normal. Existem várias causas para o aparecimento da anemia, mas a deficiência de ferro - devido a uma dieta inadequada às necessidades do organismo - é responsável por 90% das anemias em crianças e adolescentes.

A grande necessidade de ferro na primeira infância torna difícil que os níveis adequados sejam supridos sem uma suplementação à dieta, quase obrigatória nesta fase da vida. A recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria é de 1,0mg/kg/dia de ferro para todas as crianças de 6-26 meses, ou seja, logo após o desmame.

Além da suplementação, a dieta dessas crianças deve conter alimentos ricos em ferro, como carnes vermelhas, vísceras (fígado) e ovo. Vale lembrar que o ferro do feijão e de legumes verdes escuros (espinafre) só é absorvido pelo organismo na presença de vitamina C, daí a importância do suco de laranja natural na refeição. Outro importante aliado na prevenção da anemia em bebês é o leite integral suplementado com ferro.

Construindo o futuro

O período conhecido como desmame ou fase de transição, quando bem conduzido, permitirá à criança conhecer diferentes sabores e criar bons hábitos alimentares, como o de apreciar verduras, frutas e legumes, por exemplo. O desmame é a transição do alimento líquido para os sólidos e semi-sólidos. É um processo que deve ser feito gradativamente após os seis meses de idade. Só depois disso o aparelho digestivo da criança estará pronto para receber outros alimentos. É fundamental apresentar alimentos variados e saudáveis aos bebês nesta fase, para plantarmos a semente dos bons hábitos alimentares.

Esse período também contribui para outro tipo de treino, o da mastigação. É importante que a mãe ofereça à criança alimentos amassados com o garfo, ao invés de batidos no liquidificador. No início, o bebê estranha a textura. Mas é bom que ele se habitue a mastigar, para desenvolver todas as estruturas da boca, o que contribuirá para o bom posicionamento dos dentes e a conseqüente articulação correta das palavras.

publicidade
publicidade