A fisioterapia durante a gravidez eleva a qualidade de vida da futura mamãe

Técnicas como RPG e Pilates podem proporcionar uma gestação sem dores e muito mais confortável

publicidade

Ao longo da gravidez os ligamentos e articulações mudam, devido a alteração hormonal, e eles se tornam mais elásticos, distendidos e até frágeis. Isso acontece para preparar o corpo para o parto, mas também pode acabar causando dores e aumentar o risco de entorses, pubeíte - dor nos ligamentos do púbis - além de piorar problemas pré-existentes, afetando a qualidade de vida das mulheres.

A fisioterapia durante a gravidez eleva a qualidade de vida da futura mamãe

"Durante minha primeira gestação eu não conseguia nem andar ou mesmo tocar meu próprio pé devido a dor que sentia, isso porque tenho hiperlordose, que piorou muito com a gravidez", explica Cristiane Cruz, 34 anos. Ela conta que começou a fazer atividades pré-parto com a fisioterapeuta por indicação médica e sentiu melhora logo nas primeiras sessões. "Nunca tinha feito nada do tipo, mas comparada à gestação anterior, hoje, estou 100%. Consigo fazer minhas atividades bem e estou na 38ª semana. Foi renovador para mim", completa.

O poder da fisioterapia no decorrer da gravidez ainda é pouco disseminado. Pesquisadores espanhóis da Universidade Camilo José Cela, de Madri, já determinaram, em estudo publicado em 2017, que o ideal durante a gravidez é combinar exercícios aeróbicos com fortalecedores, como os oferecidos pela especialidade.

A fisioterapeuta Gislaine Milena Marton, proprietária da Clínica Quality Fisio & Pilates, explica que há uma profusão de técnicas que podem ser usadas para diminuir, ou mesmo eliminar, a dor que as gestantes podem sentir durante o período, além de ajudar na hora do parto. "Dentro do que defino como atividades pré-parto incluo técnicas como o RPG adaptado (Reeducação Postural Global), que melhora a capacidade respiratória, facilita a recuperação no pós-parto, previne o inchaço das pernas e o aparecimento de varizes, além de corrigir a postura, que é muito afetada durante a gravidez", explica.

O Pilates adaptado para grávidas também é importante, segundo a especialista, pois estabiliza a coluna lombar, reduzindo a hiperlordose e fortalecendo o músculo transverso abdominal, que diminui o risco da diástase - afastamento do músculo reto abdominal. Além disso, a prática fortalece o assoalho pélvico (períneo) e também os tornozelos, evitando entorses tão comuns no período.

Como o centro de gravidade da grávida e sua distribuição de peso ficam muito alterados durante o avanço da gestação, dentre as atividades pré-parto, também são realizados exercícios de equilíbrio e de reeducação da marcha que evitam a sobrecarga das articulações, e consequentemente, as dores.

Depois da gravidez, e após a liberação médica, as aulas podem continuar com os exercícios pós-parto. "Nessa fase o trabalho promove a reeducação muscular e postural mais rápida e efetiva, além de todo o fortalecimento dos músculos solicitados para as novas posturas da mamãe, como dar banho e amamentar", explica a fisioterapeuta.

Cristiane Cruz conta que pretende voltar para os exercícios de fisioterapia após o parto e, inclusive, já indicou as aulas para uma gestante que conheceu no hospital e se queixava de dores fortes nas costas. "Grávida não pode tomar remédio, mas a fisioterapia foi muito melhor do que qualquer medicamento", finaliza.

Quality Fisio e Pilates

publicidade
publicidade